VOLTAR

Design de Serviços

UX: a estrutura mal dimensionada do mercado imobiliário

Vigas, colunas e lajes são estruturas fundamentais em uma construção. Distribuem a carga, dão sustentação e dividem os pavimentos de uma obra. Não precisamos de formação na área para imaginar o que pode acontecer quando uma destas estruturas são mal dimensionadas.

Se você está se perguntando qual a relação entre engenharia e UX eu respondo, mas antes preciso explicar um pouco mais sobre o significado destas duas letras, afinal ainda se atribui ao termo, a habilidade de alguém que cria sites ou apps bonitinhos.

UX ou User Experience engloba todos os aspectos da interação do usuário final com a empresa, seus serviços e seus produtos. O ponto de partida para criar uma ótima experiência para as pessoas é… Adivinhe só… Atender às suas necessidades.

Apesar de UX ser uma disciplina centrada no fator humano, por meio das experiências e sensações produzidas pelo relacionamento entre seu produto e seu consumidor (pessoa), ela também é movida pelos objetivos de negócio e viabilidades técnica e financeira.

Pense nestas três áreas como se fossem as vigas, colunas e lajes do seu negócio. Construtoras, incorporadoras e imobiliárias criaram seus processos olhando para dentro, considerando os objetivos do negócio como fio condutor para a construção - não intencional - de jornada para seus clientes.

A jornada ideal? Como cliente digo que não experimente deixar o número do seu celular na mão de um corretor e entenda.

- Querido autor, eu sempre vendi assim! Por que agora eu preciso me preocupar com as sensações dos meus clientes?

Porque alguém, neste exato momento, está verdadeiramente preocupado com isso. Porque alguém vai desenhar e validar uma experiência totalmente nova pensada para o seu cliente. Esse alguém pode ser o seu maior concorrente hoje, ou uma startup que sequer formalizou o CNPJ, mas que daqui a poucos anos receberá um aporte bilionário para se estabelecer como o líder em seu segmento.

Quer fazer um Retrofit em uma de suas estruturas? Pergunte ao seu cliente como.


Por Gustavo Mills